quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Leituras conjuntas das Marias de Agosto I

Título: Eu e as mulheres da minha vida
Autor: Tiago Rebelo
Data da 1ª Edição: 13/11/2003

Colecção: Grandes Narrativas
N.º na Colecção: 227
P.V.P.: € 14,96

Sinopse
Quem é que, tendo uma vida banal, não sonha com outra mais extraordinária? Que circunstâncias na vida de uma pessoa fazem com que esta se altere de um momento para o outro, quando já nada o faria prever? É destas e doutras perplexidades metafísicas que trata esta obra, através da história de Zé, um homem sem ambição que entra na inevitável crise dos 40, cinco anos antes de os completar. Zé é um bancário desinteressado que trabalha pela necessidade de pagar as contas e adormece a praticar zapping no sofá. Porém, um dia, tudo se altera. Uma promoção inesperada no banco e o súbito interesse por ele de Cátia, uma autêntica Mónica Bellucci, vêm revolucionar a rotina entediante em que se transformara a sua vida. Depois disto nada será como antes. Mas conseguirá Zé ultrapassar esta fase vertiginosa e recuperar o equilíbrio sem consequências dramáticas para o seu casamento? Editado inicialmente em 2003 sob pseudónimo, Eu e as Mulheres da Minha Vida é uma obra à parte na prodigiosa carreira de Tiago Rebelo, autor aplaudido por milhares de leitores e publicado em diversos países.

A opinião de Maria Manuel

Zé é o típico homem bonacheirão, o português do deixa andar. Com um emprego estável no banco, faz de tudo para nada fazer. Em casa sucede o mesmo. Casado com um filho não partilha tarefas domésticas, limitando-se a fazer zapping em frente ao sofá, até a mulher lhe dizer para mudar de canal para a sua novela preferida. Aí deixa-se dormir, ressonando até tarde, no sofá.
Até que um dia Zé é chamado à atenção que na escola o seu filho Quico deu um murro no colega por este dizer que o pai dele era melhor do que o seu. Isto não serviu para Zé mudar de atitude, mas fê-lo pensar no seu modo de ver a vida.
O aparecimento de Cátia “Bellucci” na sua vida, a boazona da contabilidade, no banco, que toda a gente cobiçava, mudou completamente Zé. Cátia começou a dar-lhe atenção e daí até terem um caso foi um passo. Nessa altura coincidiu ser promovido para director do banco em que trabalhava, sem que para isso nada tivesse feito. Ao mesmo tempo que saía com Cátia, Zé conheceu Sara que também se tornou sua amante.
Será que o casamento se manteve depois de tantas vezes fora de casa? Para isso terá de ler este hilariante livro de Tiago Rebelo, que em 2003 foi escrito sob pseudónimo, João João Tomás Belo. Segundo disse em várias entrevistas, "Eu e as Mulheres da minha Vida" era um livro escrito fora do estilo habitual e «como estava no início da carreira não queria estar a diversificar e distrair tanto o leitor». Este livro divertido sobre a guerra dos sexos mostra uma nova escrita de Tiago Rebelo.

A opinião de Maria Manuela
Tal como a sinopse de um livro, que por vezes nos engana/ilude, quer pela positiva quer pela negativa, há títulos que por vezes nada têm a ver ou em nada se identificam com a história narrada (isso já sucedeu comigo... felizmente, poucas vezes). Pois, este é daqueles títulos que se adaptam e resumem na perfeição a história do livro.
Zé é o protagonista deste romance. O enredo vai girar em torno dos seus problemas amorosos. Zé é casado com Graça, de quem tem um filho (Quico), bancário e que leva uma vida pacata e sedentária. Tudo isto muda quando, um dia, o filho se envolve numa zaragata com um colega de escola. Zé começa a pensar no tipo de vida que leva e, há situações que lhe começam a surgir (como o ser promovido no emprego) sem que ele se esforce minimamente para isso.
Mas foi, principalmente, na vida amorosa do bancário que se deu a maior reviravolta. Cátia, também funcionária do banco, era considerada a Mónica Bellucci lá do “sítio”. Mas as traições de Zé não se quedaram por aqui. Outras mulheres surgiram na sua vida, umas com um papel mais significativo que outras. Sara foi uma das que teve um papel bastante significativo na vida do bancário. E tudo piora quando Graça descobre que o marido a anda a trair…
No final… bem, no final, não contava de todo com o desfecho escolhido por Tiago Rebelo.
Este foi o primeiro livro que li deste escritor e que confirmou todas as expectativas positivas que tinha acerca do seu trabalho. “Eu e as Mulheres da minha Vida” revela-se um livro com uma leitura bastante leve e fluida, sem momentos “mortos” e com alguns pingos de humor à mistura sem, no entanto, banalizar as temáticas abordadas. Um livro que aborda temas que afectam actualmente vários casais, nomeadamente, a traição, o divórcio e respectivas consequências na vida dos filhos.
Fiquei bastante agradada com esta leitura e curiosa para ler outros livros do autor.

Classificação:
4/5

4 Comments:

Carla Martins said...

Poxa, duas opiniões positivas! Deve ser mesmo muito bom!

Marta said...

Ola

Deixei um miminho no meu blog.

Beijinho e boas leituras

Anónimo said...

Eu li esse livro e detestei, acho muito fraco e não se aprende nada. Da 1º a ultima pagina é sempre a mesma coisa. de 0 a 10 eu daria 2 de pontuação.

Anónimo said...

Tb não gostei nada desse livro.