sexta-feira, 15 de maio de 2009

No Café da Juventude Perdida - Patrick Modiano

No café da juventude perdida
PVP: 12 €
Editor: Edições ASA
Ano de Edição: 2009
N.º Páginas: 112

Sinopse: O melhor romance de 2007, segundo a revista Lire. Paris, anos 60. No café Condé reúnem-se poetas malditos, futuros situacionistas e estudantes. À nostalgia que impregna aquelas paredes junta-se um enigma personificado numa mulher: todas as personagens e histórias confluem na misteriosa Louki. Quatro homens contam-nos os seus encontros e desencontros com a filha de uma empregada do Molin-Rouge. Para quase todos eles, ela encarna o inalcançável objecto de desejo. Louki, tal como todos os boémios que vagueiam por uma Paris espectral, é uma personagem sem raízes, que inventa identidades e luta por construir um presente perpétuo. Modiano recria em redor da fascinante e comovente personagem desta mulher a Paris da sua juventude, enquanto constrói um maravilhoso romance sobre o poder da memória e a busca da identidade.

Comentário
Patrick Modiano transporta-nos para a Paris de 60, uma cidade sombria que percorremos pelas ruelas obscuras, pelos diversos quartos de hotel e pelas luzes do Molin-Rouge. É no café Condé que vivenciámos o dia-a-dia dos frequentadores daquele estabelecimento parisiense. Todos eles têm uma coisa em comum: Louki, antes Jacqueline Delanque, uma jovem misteriosa, que fascina todos os presentes. O seu passado dúbio, isolado, à margem da lei, faz com que se torne numa pessoa carente. Casou mais por companhia, por um modelo de “pai” como ela própria refere “Ele [o marido] estava sempre a dizer-me que queria o meu bem… É verdade… Quer o meu bem… Considera-se de certo modo meu pai…”. Mais tarde, Louki vai fazer do café Condé o seu principal refúgio, onde se transforma no que pretende ser, uma intelectual, por forma a sentir-se integrada no ambiente do próprio espaço. Este livro, que me prendeu desde o início, é composto por relatos de quatro frequentadores assíduos do Condé que nos retratam, de uma forma muito pessoal a história de Louki. Começa pela história de um estudante da Escola Superior de Minas, seguindo-se o relato de um detective privado contratado pelo marido de Jacqueline Delanque com a finalidade de encontrar o rasto da sua amada. Depois, chega a própria protagonista da história. Louki relata um pouco a sua vida, antes e depois do Condé. É conhecida a sua solidão, sobretudo à noite, enquanto a sua mãe vai trabalhar para o Molin-Rouge, o que faz com que seja apreendida por duas vezes pela polícia francesa, por vagabundagem. E, por fim, existe ainda a história de Roland, seu amante, também ele um ser que guarda um mistério.


Excertos
“É a vantagem de ter mais vinte anos do que os outros: ignoram o nosso passado”.
“Tudo mudou na noite em que Roland me levou àquele bairro que eu evitava”.
“As zonas neutras têm pelo menos esta vantagem: são apenas um ponto de partida, e mais tarde ou mais cedo, abandonamo-las”.
“Fixar os fantasmas olhos nos olhos, não há melhor maneira de os eliminar”.
“Quando amamos verdadeiramente alguém, importa aceitar a sua parte de mistério… E é por isso que amamos…”


Classificação: 3/5

3 Comments:

Marcia said...

Prezada Maria Manuel, eu nem acreditei quando vi este post. Ocorre que eu também tenho um blog de literatura (e cinema e outros pitacos ) aqui no Rio de Janeiro (http://marciacl.typepad.com/na_linha/) e justamente um dos meus autores favoritos é Modiano. E ainda mais precisamente, estou no momento fazendo uma série de posts sobre ele que eu entitulei "Semana Modiano" (que já tem mais de uma semana está no quarto post) e, sendo o quinto que eu irei postar hoje um perfil da obra dele editada no Brasil - que é quase nada, infelizmente, o sexto será justamente o Café de la jeunesse perdue, que eu acabo de ler. Aqui no Brasil não foi lançado. Gostei muito do que você escreveu e parabéns às duas pelo excelente trabalho. Também sou jornalista e tenho mestrado em Literatura de língua francesa. Mas trabalho como produtora de música clássica / contemporânea. Se você pudesse me dar uma ajudinha, como aqui quase não há livros editados do Modiano, você sabe uma livraria online onde eu pudesse indicar no meu blog para os brasileiros comprarem em português de Portugal?
Obrigada desde já,

Marcia.
marcinha@rotativa.com.br

Maria Manuel said...

Olá Márcia,

Eu não conhecia Modiano até ler este "No café da Juventude Perdida". Infelizmente, apesar de ter gostado bastante do livro, acabei por ainda não ler mais nada do autor. Posso dar-lhe, por exemplo, o site www.wook.pt, que vende este livro. É um site que funciona muito bem. Espero ter sido útil. :)

Beijinhos e boas leituras,
Maria Manuel

Marcia said...

Oi Maria Manuel, obrigada novamente. Já inseri sua dica no meu post. Se quiser ir até lá:

http://marciacl.typepad.com/na_linha/2010/04/semana-modiano-vi.html

Saudações literárias!

Marcia.