sexta-feira, 10 de abril de 2009

Novidades Bertrand para Maio

Eis os títulos, da Bertrand, que vão estas nas livrarias já no próximo dia 8 de Maio:

O Fato Cinzento (Andrea Camilleri)
Andrea Camilleri nasceu em Porto Empedocle (Agrigento) no ano de 1925, mas vive há anos em Roma. Desde 1949 que trabalha como produtor e guionista, sobretudo de séries policiais. Com o passar dos anos, juntou a essa actividade a de escritor e tem publicado importantes obras de ficção passadas na Sicília. O seu grande êxito surgiu com a invenção do Comissário Montalbano e, desde então, tem conquistado os leitores de todo o mundo, quer com os romances históricos quer com os policiais e, mais recentemente, com incursões noutros géneros literários. "Um autor a ler antes de morrer", diz o Daily Telegraph.


O Fato Cinzento é um thriller sobre um alto funcionário da banca que se reforma e recebe três cartas anónimas. No primeiro dia em que não tem de ir trabalhar, este decide estudá-las. As duas primeiras datam de há décadas, mas a última é recente e insinua dúvidas acerca da fidelidade de Adele, a sua jovem e belíssima mulher. É Adele a protagonista deste romance, uma esplendorosa femme fatale que adora usar um fato cinzento, aparentemente casto. Um fato que tem para ela um profundo significado simbólico, que melhor seria nunca chegar a conhecer…


Os Anos de Sócrates
(Fernando Sobral)
Compilação das crónicas de Fernando Sobral no Jornal de Negócios. Prefácio de Marcelo Rebelo de Sousa.


Julie & Julia
(Julie Powell)
À beira dos trinta, encurralada num desinteressante trabalho como secretária sem fim à vista e num minúsculo apartamento, Julie Powell resolve recuperar a sua vida, perdida num quotidiano monótono, através da culinária. Ao longo de um ano, experimenta cada uma das 524 receitas da lendária Julia Child. Gradualmente passando dos oeufs en cocotte ao bistek sauté au beurre, começa a perceber que aquele Projecto (acompanhado por blog) está a mudar a sua vida. A sua recompensa é não só um recém-adquirido respeito por fígado de porco e mioleira de vaca, mas uma vida inteiramente nova – e vivida com estilo e muito gosto.


Julie Powell nasceu e foi criada em Austin, no Texas, onde conheceu o marido, Eric. Depois de ter passado muito tempo em empregos temporários, agora escreve, de pijama, em Long Island City, Queens, onde partilha um apartamento numas águas furtadas com Eric; com o seu cão, Robert; com as suas gatas, Maxine, Lumi e Cooper; e com a sua cobra, Zuzu Marlene.


O Herdeiro de Sevenwaters
(Juliet Marillier)
Continuação da Trilogia Sevenwaters. Os senhores de Sevenwaters foram durante muito tempo guardiões de uma floresta vasta e misteriosa, um dos últimos refúgios do Tuatha De Danann. Os humanos e moradores de Otherworld existiam lá, lado a lado, separarados por um véu fino entre mundos e compartilhando uma confiança cautelosa. Mas tudo muda naquela primavera em que Aisling de Sevenwaters fica grávida. Com a mãe grávida, Clodagh teme o pior pois Aisling já ultrapassou a idade segura para uma gravidez. Além disso, o seu pai, Lorde Sean de Sevenwaters, enfrenta várias dificuldades como facções em guerra que ameaçam os seus domínios. Quando Aisling dá à luz um filho - um novo herdeiro para Sevenwaters - a responsabilidade de cuidar do jovem infante recai sobre Clodagh enquanto a sua mãe recupera. Só que um dia o pequeno desaparece do seu quarto... algo sobrenatural o leva dali, e para recuperar o irmão, Clodagh tem de entrar num universo sombrio e confrontar um príncipe poderoso que por lá reina. Uma guerreiro irá acompanhá-la nesta missão em que Clodagh terá a coragem de testar os seus limites.


Lady Jane: Rainha por Nove Dias
(Charles Edward)
Romance histórico (ou será thriller político ou ainda uma bonita história de amor?) em torno de Lady Jane, que foi rainha de Inglaterra apenas durante nove dias, não tendo sido coroada. Lady Jane subiu ao trono por desejo do Rei Eduardo VI, que a elevou a rainha em detrimento das suas duas meias-irmãs (Maria I e Isabel I). Contudo, acabou por ser retirada do trono por Maria I e depois condenada e executada por traição. É sobre ela e sobre a Inglaterra do século XVI que se centra este livro de Charles Edward.


E a sair dia 22 de Maio ...

Testemunhos da China (Xinram)
Durante mais de 20 anos, a autora compilou uma lista de pessoas com histórias fascinantes para descobrir. Nos últimos anos, viajou pela China com uma equipa de filmagens para as entrevistar. A maior parte dos entrevistados foram pessoas na casa dos 70 ou mais anos, orgulhosos, trabalhadores e, muitas vezes, vivendo na pobreza e representam uma ampla amostra da cultura chinesa: pioneiros que construíram a noroeste a cidade bastião de Shihezi, marido e mulher que participaram nas primeiras brigadas de prospecção de petróleo, uma mulher general, um polícia aposentado, uma testemunha da Longa Marçha de 1936 e alguns artistas, todos transmitem a sua visão da China. Em cada entrevista, Xinran procura responder a uma pergunta essencial: "Porque é que os chineses acham tão difícil falar francamente sobre si próprios?" Os entrevistados contam-nos as incríveis dificuldades passadas durante a Revolução Cultural, quando famílias inteiras foram vítimas da fome, as escolas foram fechadas e as pessoas foram sendo normalmente denunciadas, como foi o caso da famosa heroína da revolução conhecida como a Mulher “Double-Gun”, cujo genro Xinran localizou. As mães, em especial, fizeram sacrifícios enormes, mas essa geração foi muitas vezes forçada a delegar a educação dos seus filhos noutras pessoas e muitos entrevistados expressam uma culpa terrível por esse abandono. Xinran introduz-se suavemente nos entrevistados, incentivando-os a falar honestamente e indagando permanentemente se eles compartilham as suas histórias com os filhos. A maioria não o faz, porque entendem que estes estão mais interessados em fazer dinheiro do que em reviver a história familiar.

Ricas e cativantes, as entrevistas de Xinran são uma valiosa história social que os livros de estudo normalmente não revelam


Vasto Mar de Sargaços
(Jean Rhys)
Jean Rhys é o pseudónimo de Ella Gwendolyn Rees Williams, nascida na Dominica em 1890, filha de um médico galês e de uma mãe crioula branca. Aos 16 anos foi para Inglaterra, onde foi manequim, modelo e rapariga de coro. Começou a escrever em Paris, aos 30 anos, quando o primeiro dos seus três casamentos terminou.


No livro, Antoinette Cosway é uma herdeira crioula nascida numa sociedade colonialista e opressiva. Conhece um jovem inglês que logo se deixa fascinar pela sua sensualidade e beleza, mas depois do casamento começam a circular estranhos rumores, que o envenenam contra ela. Apanhada entre as exigências dele e a sua própria sensação de precária pertença, Antoinette é levada à loucura. Inspirado pelo livro Jane Eyre, de Charlotte Bronte, tem como cenário a paisagem exótica da Jamaica dos anos 30. Tornou-se um clássico da literatura do século XX e foi adaptado ao cinema.


O Homem de Sampetersburgo
(Ken Follett)
Segundo o jornal Times, com este livro estamos perante "o melhor de Follett".
Sinopse: chamava-se Feliks e foi para Londres com o intuito de cometer um crime que haveria de mudar o curso da História. Eram muitas as armas que este mestre da manipulação tinha nas suas mãos, mas as mais perigosas eram o amor de uma mulher inocente e a paixão insaciável de outra. Contra si ergueram-se as forças policiais britânicas, um lorde abastado e influente e o jovem Winston Churchil. Qualquer homem teria sido detido, com excepção do homem de Sampetersburgo…


De Alma e Coração
(Maeve Binchy)
De Alma e Coração é um best-seller internacional. Trata da história de Clara Casey e da sua luta por uma causa superior. Clara Casey tem muito com que se ocupar. A sua filha Adi vive numa eterna luta contra ou a favor de alguma causa: o ambiente, as baleias ou a criação de animais ao ar livre. Linda, a outra filha, experimenta uma sequência de relações falhadas. Além disso, Clara tem vindo a receber uma indesejada atenção por parte do ex-marido e confiaram-lhe a inglória tarefa de montar uma clínica com escassos fundos.

Não tarda contudo a que aquela clínica se torne um elemento essencial da comunidade, trazendo para o local novas pessoas, com as suas histórias e os seus sonhos.

Com a astúcia, o humor e a compaixão a que nos habituou, Maeve Binchy traz-nos uma história de família, amigos, médicos e pacientes – todos eles parte de uma comunidade num momento de transição.


Maeve Binchy nasceu numa vila perto de Dublin, um cenário a que recorre frequentemente para criar os ambientes dos seus romances. Foi professora e trabalhou em Israel, tendo morado num kibbutz. Durante esse período escrevia ao pai todas as semanas, descrevendo um país à beira da guerra, e o pai enviou certa vez uma dessas cartas ao Irish Times, que lhe pagou para a publicar. Viria a tornar-se mais tarde a correspondente do jornal em Londres.
Desde então, o êxito de Maeve Binchy tem sido surpreendente. Tem publicado contos, peças de teatro e um guião para televisão, mas é mais conhecida pelos seus romances, que lhe conquistaram o reconhecimento internacional.


Voltarei para te Procurar
(Guillaume Musso)
Guillaume Musso dispensa apresentações. Em linha com os seus livros anteriores, em Voltarei para te Procurar há três personagens à beira do abismo, um homem, uma mulher, uma criança: Ethan, Céline, Jessie. Que se vão encontrar, destruir-se e amar-se. Terão também eles ultrapassado o ponto de não retorno?

Resta-lhes 24 horas para mudar as suas vidas.

Mas será que o amor pode vencer a morte?…


O Servo de Deus
(Aquilino Ribeiro)


1 Comment:

Cristina Bernardes said...

Adorei saber que vem aí mais um livro de juliet Marillier... Feliz Páscoa.